segunda-feira, 15 de julho de 2019

Trauma de Infância


No início dos anos 80 namorei Fulana por 2 anos. Éramos um Casal extremamente querido por todos os muitos Amigos, e ninguém – nem mesmo nós – imaginava que algum dia poderíamos nos separar. Mas a ruptura ocorreu em um diálogo inesperado e que durou menos do que 5 minutos. Ela começou a montar um Enxoval, Eu disse que não tinha intenção de me casar, Ela disse que então era melhor nos separarmos, e nos separamos. Foi bastante súbito; Eu tinha ido à sua Casa em um sábado absolutamente normal pela manhã, e em 5 minutos estava de volta à Rua, inesperadamente Solteiro. Foi um tremendo choque para todos, e uma grande surpresa para nós mesmos. Uma semana depois Eu comprava minha primeira Moto, e em dois meses me mudava do Rio para São Paulo pela primeira vez; mas isto é outra história (que no entanto tornou a Separação definitiva).

Alguns anos depois namorei Beltrana. Muitas Pessoas diziam:
- “Nossa, como é parecida com Fulana!”
Eu as achava completamente diferentes, mas muita gente achava que era alguma espécie de “paixão recolhida” por Fulana, e não havia jeito de convencê-los do contrário.

Mais alguns anos, e namoro Sicrana. Gente que não chegou a conhecer a Fulana, dizia:
- “Ela é igual a Beltrana!”
E a história se repetia. Beltrana teria “me marcado”, e Eu a estava buscando em Outra(s).

E a coisa se repete ao longo de nossas Vidas. As Pessoas reduzem seus Julgamentos à percepção e conhecimento limitados que têm. Ora, se Luciana lembra Cristiana e se Mariana se assemelha a Eliana, isto não significa que o Cabra ainda nutra sentimentos por Adriana! A resposta é muito mais simples: aquele é o tipo de Mulher (inclusive fisicamente) que o atrai! Aquela primeira foi tão-somente a primeira a se encaixar no Padrão, mas não se trata de uma Assombração a manifestar-se em noites insones!

Noto que o mesmo ocorre com diversas interpretações pueris de “Traumas de Infância”. Ah, o seu Pai te jogava para o alto e é por isto que você tem medo de altura! Quando era Bebê você viu uma vela no escuro e isto te apavorou, daí você hoje ter medo de fogo! Quando viu seu Pai nadando no Mar você se assustou, e até hoje tem preguiça de tomar banho! ME POUPEM! Milhares de crianças foram jogadas para cima e não têm medo de altura, milhares de crianças viram velas no escuro e não têm pavor irracional de fogo, milhares de Crianças viram o pai no Mar e não se tornaram Cascões. Aquelas primeiras vezes foram simplesmente as primeiras oportunidades de manifestação de algo intrínseco à Pessoa, mas não a causa. Tais outputs são meramente características pessoais, idiossincrasias, não correlacionadas de maneira forçada a ocorrências corriqueiras das infâncias de todos.

Não estou negando a existência de traumas de infância, apenas me colocando contra a vulgarização de seu uso como explicação rastaqüera para comportamentos pessoais. Qualquer coisinha tem logo uma explicação escalafobética pescada nos recônditos de suas memórias longínquas; ora, não sejamos tão simplórios!

Eu não gosto de Fabiana porque ela se parece com Morgana, mas sim porque Ela é intensa, elétrica, dinâmica, entusiasmada, corajosa, surpreendente, inteligente... e mignon. Assim como Viviana e Juliana também eram.

Às vezes, um Charuto é apenas um Charuto.

Aliás, em geral é.


(CopacabANA, 20190714)

(Curiosidade: neste Blog há uma Tag chamada “Perplexidades CotidiANAs”...)

sábado, 13 de julho de 2019

O Maior Fora que Eu já dei em um Show de Rock


Em homenagem a este DIA DO ROCK, conto a história do Show Em Que Fui Mais Mané Nesta Vida.

Para quem tem 4 décadas encarando Metaleiros em Shows do IRON, AC/DC, RAMMSTEIN, SABBATH, RAIMUNDOS, GUNS, METALLICA, DREAM THEATER e muitos etcs, as apresentações de Bandas em Festas de final de ano em Empresas são eventos tão plácidos & serenos que seria possível ir descalço.

Estava Eu em uma destas Gigs em uma Festa daquela inesquecível Administradora de Cartões de Crédito. No palco os TITÃS (com o fenomenal LUIS SÉRGIO CARLINI como Guitarrista Convidado) tocando um avassalador popurri de seus sucessos, e a Mulherada se esbaldando bem mais do que os Homens.

Fiquei na boca do Palco, first row. O show acabou e eles se retiraram para refrescos, e em pouco retornaram. Recomeçaram com algo descalabradamente dançante, Platéia incendiada, eu aguardo um momento em que Carlini olha para mim, ainda na primeira Música do ‘encore’, e faço a gesticulação clássica pedindo uma Palheta.

As Três Palhetas que carrego na Carteira:
Pedro Abdala, Frank Usher (Fish) e GustaFer.
Não sei o quê fiz com a do Mick Jagger!  
Carlini – que tinha somente UMA Palheta, a que estava usando naquele momento – me olhou desconcertado pelo pedido, e entre gestos e mímica me passou a mensagem:
- “Pô... Mas justo AGORA???”

Me afastei do Palco envergonhado, me sentindo o Mané que realmente Eu sou. Se algum dia encontrar o Carlini, vou contar esta história e pedir desculpas! (e uma Palheta...)


(Ipanema, 20190713 Congrats GustaFer!)

sexta-feira, 12 de julho de 2019

Aviso aos Passageiros


“Antes de entrar no Elevador, verifique se o mesmo se encontra-se parado-se neste mesmo andar”.

Quando a obrigatoriedade deste Aviso foi implementada, não alcancei o enorme benefício que ele me traria. No entanto, embora aparentem ser COMPLETAMENTE ESTÚPIDAS (além de pessimamente redigidas), estas Placas já me salvaram a Vida duas ou três vezes!

Aconteceu de Eu estar entrando desatento em Elevadores, mas alertado pela Placa fui conferir e o Elevador NÃO ESTAVA LÁ! Duas ou três vezes eu teria despencado no Poço escuro, e MORRIDO!!!

Quantos milhares de Vidas já não terão sido salvas da mesma forma?

Sugiro portanto que a obrigatoriedade do Aviso se estenda a outras situações:

Em um Jantar formal, antes da Devoração a Anfitriã teria a obrigação de avisar a seus Convidados:
- “Antes de se sentarem, verifiquem se suas cadeiras estão debaixo de seus traseiros!”

Antes do “boarding” nos Aviões, a Placa salvadora:
“Antes de embarcar no Avião, verifique se ele se encontra parado na Pista a sua frente.”

Não viu a placa, Tom?
Igualmente antes de subir a bordo de um Navio:
“Antes de embarcar no Navio, verifique se ele realmente se encontra ancorado no Cais.”

Já imaginou quantas Vidas serão poupadas?

É muito humana esta Placa! É brilhante. Absolutamente brilhante!


(Ipanema, 20190712 - When You’re 64, Duinho!)

Eu Sei Perder


Durante anos acompanhei com entusiasmo os filmes da MARVEL. Ultra bem-feitos, divertidos, bons cenários, bem filmados, bem-humorados. Desde Criança sempre fui Fã do THOR: cabelão liso, voava, controlava as Tempestades, e ainda por cima tinha o Mjölnir!

Considerei alguns filmes bem mais fracos, como “Era de Ultron” (2015) ou “Homem de Ferro 3” (2013) (um exército de Homens de Ferro??? vulgarizou!), mas eram importantes / necessários para a continuidade da Estória.

Por outro lado tivemos preciosidades como “Mundo Sombrio” (2013), “Soldado Invernal” (2014) e “Guerra Civil” (2016) – justo eu, que nunca fui Fã do Capitão America...

Sempre me incomodou, no entanto, a vitória final ser do Bem não porque o Bem triunfa, mas simplesmente porque dá mais porrada e não leva tiro. Isto não era uma característica exclusiva da MARVEL; se o Batman ou o Lanterna Verde fossem do Mal, então o Mal triunfaria, pois eles dão mais porrada e não levam tiro. Oh, que SORTE então que o Batman é do Bem!!!

Isto se repete em quase todos os filmes: o Vilão tem um Plano genial, ultra bem construído, inteligente e estratégico, mas puxa... nenhuma bala acerta o 007, e assim ele acaba conseguindo derrubar o Satélite!...

Tudo mudou com THANOS em “Guerra Infinita” (2018). Ele tinha uma motivação impecável (a mesma de “Inferno” de Dan Brown, que detalha sua premência de forma incontestável): reduzir a devastadora superpopulação da única forma possível, na marra. E com isto salvar a Humanidade ou quem restasse, fosse na Terra (no caso de Inferno”) ou no Universo (“Guerra Infinita”). E – agradável surpresa – nos dois casos o Vilão GANHOU!

De forma sutil no Livro do Dan Brown (ignore o Filme, pois altera o final para bobinho-alegrinho e é uma bosta, como aliás todos os filmes baseados em Livros dele, assassinaram o espetacular “Anjos & Demônios”!!!), e de forma escancarada com THANOS. Ele derrota o enxame de Vingadores e extermina metade da Vida do Universo!!! Avisa com antecedência que talvez jamais viesse a ser reconhecido como um Benfeitor pelo que faria, mas que estava disposto a arcar com tal custo em troca de ter um Universo florescente. E o faz! Ele consegue! Aniquila metade do Universo e metade dos Vingadores! Hats off to Thanos!!!

Mas então, 1 ano depois, a MARVEL inventa viagens de volta no Tempo, imersão em universo quântico e outras baboseiras patéticas como forma de deter Thanos antes de sua vitória. Indigno, bisonho, retrógrado. Thanos VENCEU, Galera. DERROTOU os Vingadores todos, e implementou seu plano de salvação do Universo. ACABOU, vocês perderam! Não me inventem uma tosquice destas de voltar no tempo para impedir a vitória; é muita pequenez.

Com isto, eu DEIXEI de assistir “Ultimato” e PAREI de assistir os filmes da MARVEL. For life. Acabou; Thanos venceu. Eu sei perder.

- "I finally rest and watch the Sun rise on a grateful Universe"
(Thanos, "Infinity War")
Sei perder inclusive os filmes todos após “Guerra Infinita”.

Adeus, Avengers!

Perderam, Playboys!


(Ipanema, 20190711)


sábado, 6 de julho de 2019

Seu Jersey do Seu Time


- “Usar camisa de Time é 'preguiça de se vestir bem', é isto que Você costuma dizer?”

- “Isto! Ou então 'desculpa para se vestir mal', tanto faz, dá na mesma”, reponde minha Prima, cuja opinião nenhum Homem de bom gosto deveria ignorar.

As palavras dela têm ainda mais valor por já ter trajado diversas vezes o jersey de seu time em um Passado não muito distante. Admiro quem questiona as próprias atitudes e tem Coragem e Grandeza para mudar de opinião.

Mas... e agora? O que faço com meus 47 jerseys do VASCO???


(Laranjeiras, 20190705)

sexta-feira, 5 de julho de 2019

Limpeza de Evidências


Se Você morar sozinho, ao sair de Casa muito provavelmente será o próximo a entrar nela.

Mas isto pode eventualmente não ocorrer. Um Acidente, um Incêndio, um Arrombamento, um AVC, ou qualquer outro infortúnio; talvez alguém inesperado seja a próxima Pessoa a entrar em sua Casa por mil motivos outros.

E se Você tiver deixado alguma “evidência comprometedora” (pode-se imaginar várias, mas não é o caso de especularmos aqui), ela pode ser encontrada inesperadamente por Outrem – que não esperava encontrá-la! E que talvez não tenha a mesma compreensão ou abrangência de pensamentos livres que Você tem...

Pergunto então: quando sai de Casa, Você faz uma “Limpeza das Evidências”?

VOCÊ É PRECAVIDO?

Já perguntei para um ou outro, e as respostas foram as mesmas que a minha...


(Lagoa, 20190704)

Um Dia a Mais


Foi um Pedido simples: Ela pediu que Ele ficasse 1 dia a mais.

Mas foi um Pedido feito com tamanha Doçura, com um certo embaraço, com evidente Timidez, como que com vergonha de ousar desejar isto...

Ele se sentiu bem-vindo e acolhido como havia muito não se sentia.

E ficou mais 2 dias.


(São Paulo, 20190628)

Yin e Yang


Não confunda

a Entidade que ocupa atualmente o Corpo

da Pessoa com quem um dia Você se relacionou

com

a Pessoa com quem um dia Você se relacionou.

São Criaturas diferentes!

A Pessoa com quem Você se relacionou não existe mais!

Na verdade, ela somente existiu durante a Relação de Vocês.


Dizia-se antigamente (talvez ainda se diga) que para saber como uma Mulher iria ficar no Futuro, uma boa pista seria olhar para sua Mãe.

Este mesmo Raciocínio talvez se aplique / aplicasse aos Homens, não sei dizer.

Mas um paralelo que certamente pode ser estabelecido é quanto à forma que Você será tratado quando se tornar um Ex-Celentíssimo.

(Disclaimer: este Ensaio é redigido com viés masculino, mas entendo que possa ser vertido para um ponto de vista feminino sem alterações ou prejuízo.)

Para saber como Você será tratado quando se tornar um Ex, basta observar como Ela trata hoje os Ex dela.

Acho curioso como algumas muitas Pessoas não conseguem terminar bem seus Relacionamentos. Alguém foi importante para Você, por diversos fatores. O Relacionamento pode ter acabado, mas aquelas características continuam fazendo parte daquela Pessoa; e não é por não mais estarem juntos que Você deixou de admirá-la.

Mas... não. Alguns muitos somente conseguem passar do Amor diretamente para o Ódio, ou talvez Raiva, até mesmo total Indiferença. Como assim??? Não consigo entender. Wishful thinking: talvez a Entrega tenha sido tão grande que a única defesa possível seja o completo distanciamento, o Muro, a Parede, o Congelamento. Mas é claro que estou especulando.

Pessoalmente considero que a melhor forma de acabar um Relacionamento seria continuarem Amigos. Uma Pessoa que te conhece e que Você conhece, em quem Você confia e que pode confiar em Você, Pessoas que já foram tão próximas (é claro que me refiro a términos civilizados de Relação). Que continuem a cuidar Um do Outro, sem ressentimentos. Ninguém melhor para fazê-lo, para cuidar de nós e igualmente ajudarmos, do que quem nos conhece e que conhecemos tão bem.

Mas não, prefere-se destruir tudo e recomeçar do zero; prefere-se inventar o isqueiro.

“Tudo para sempre, ou nada nunca mais.”

Felizmente existem algumas poucas – e preciosas – exceções.


(Nota: “inventar o isqueiro” é uma expressão que ouvi há décadas de um Professor na Engenharia da PUC/RJ. Refere-se a despender colossais recursos de tempo e energia para “inventar” ou “descobrir” algo que já existe, puramente por resistência a reverenciar o que já foi feito anteriormente. Adorei o conceito, e nunca o esqueci.)

(Ipanema 20190619)

Fim de Luto


E então Você vem a saber que Ela está namorando.

Quanto tempo se passou, 1 semana? 1 mês? 6 meses? 1 ano?

Vocês se adoravam. Mas além dos picos estratosféricos havia também os vales abissais, e após um período (variável a cada Relacionamento) radicalmente bipolar, a conclusão racional se impôs à emocional, e foi mais saudável acabar com aquela gangorra arlequina.

Afastamento racional não implica no entanto finalização da Emoção, e veio então o Luto. Não um sentimento auto-imposto, mas algo que vaza, jorra, escorre e sangra de dentro de Você, que embora ficasse desejoso de encontrá-la ficava principalmente receoso quanto a encontrá-la, pois temia resvalar para aquele torvelinho uma vez mais.

E então Você vem a saber que Ela está namorando.

Dois sentimentos diferentes te invadem.

ALÍVIO. Situação resolvida! It is finally really over, não há mais um Risco; cenário também conhecido como “Duplicata Descontada”.

TRISTEZA. O fim de um ciclo, encerramento, o fecho de algo que Você gostava. A constatação ou descoberta de que Você não era tão importante, afinal. Life goes on, salutations from the other side.

É uma Dor profunda, mas que Você precisava passar; não há outro jeito.

Mas o saldo é positivo. A sensação é de Leveza. Dói, mas alivia.

E acontece um inesperado benefício adicional: Você descobre que acabou o Luto!


(Cambuquira 20190621)





Propaganda Enganosa


Como resistir a uma Mulher que no dia em que Vocês se conhecem (em uma Festa mega-blaster) te diz:
- “Você está sóbrio demais, vai beber alguma coisa!”
???

Quando Você passa 
do completo Desconhecimento
ao completo Deslumbramento
à completa Desilusão
em um intervalo de 24 horas,

Você entrevê
a Ingenuidade
a Pureza
a Transparência
a Vulnerabilidade
escancaradas a quem quiser te armadilhar.

(Ainda mais quando os GameMakers resolvem caprichar na isca!)

Um porquinho cor-de-rosa perambulando desorientado por uma Selva de esfaimadas Panteras.

Mas Você já sabia disto tudo, não é mesmo?


(Conceição do Rio Verde, 20190622)

Para Des-Consolo Masculino


Me vejo em uma divertida e afiadíssima conversa com 3 Jovens & Belas Damas, 3 Jovens & Belos Gays, e Euzinho.

Uma Dama faz um hilário e inflamado discurso glorificando sua variada e (literalmente) ENORME coleção de Dildos & Vibradores.

Apregoa por exemplo os benefícios daquele “de vidro, que quando preenchido com líquido gelado, Vocês precisam ver QUE DELÍCIA!” (eu agradeço, mas declino). Fala dos ciúmes que tem de suas peças preferidas. Conta das brincadeiras públicas que ouve de Amigas e principalmente do Marido distante. Confessa a predileção por tal e tal e tal Peças. O entusiasmo transborda, não sei se algum dia terá se referido a algum Namorado com tamanha eloqüência.

Fico então a me perguntar: se a Mulher se habitua a tais “britadeiras de clitóris” (*), será que algum “Homo Erectus” ainda tem alguma chance de sucesso com Ela???


Na mesma conversa, um Casal Gay conta uma Aventura vivida quando compraram um portentoso Dildo e o levaram para um Motel.

Após farta ingesta de booze e substâncias estupefacientes, um deles se lembra do Consolo e o apresenta. O Outro retruca:
- “Só se for no seu, Querido, porque aqui no meuzinho não vai rolar não!”

Peço que a história seja ilustrada, e eles então apanham o artefacto no recôndito da espetacular Casa. Trata-se de respeitabilíssimo Pênis de borracha rija, cor natural, digamos 22 cm. As Damas se revoltam imediata e unanimemente: o tamanho "não é grande mas sim normal” (!), para estupefação dos 3 Gays e também minha.

Tenho então uma epifania, e apresento uma terrível Teoria às 3 Damas. Elas a confirmam sem titubear, e subitamente me vejo de posse de um conhecimento que creio os demais portadores de falos desde o nascimento não possuem: o critério de comparação, o parâmetro de tamanho de Pau para as Mulheres é o tamanho dos Consolos, e não o dos Paus de carne & veias! E mais, Elas se valem deles MUITO MAIS do que supõe nossa vã filosofia!

Portanto, meu Caro Leitor, fique consciente de que seu Principal Concorrente não é o Ricardão; é o RicarDildo!

Ou a Britadeira!

Ou AMBOS!!!


(Nota: a expressão “britadeira de clitóris” foi originalmente criada por um Pastor Evangélico há alguns anos, mas por mais que pesquise não consigo identificar o genial Autor.)


(Groenlândia, 20190623)

A Rainha dos Dragões


Um aspecto prático que não foi abordado pelos Fãs no final de GAME OF THRONES recebe aqui uma pequena atenção.

Refiro-me à forma precipitada e atabalhoada que Jon Snow matou Daenerys Targaryen.

Ora, tudo bem, ele podia matá-la, mas que desse um tempo antes e aproveitasse um outro ângulo da situação. Já imaginou como a Mulher estava se sentindo? Rainha de Tudo & Senhora dos Dragões, ainda por cima Gatinha Gostosa, certamente estava uma transa FURIOSA & PODEROSA!

E o Cara desperdiçou sem dar umazinha!!!

A Mulher estava ENLOUQUECIDA, Rainha Loura Louca Nua sequiosa em um Cama gigantesca com o mais puro cetim e travesseiros enormes de pluma de ganso no Castelo mega-blaster de comando dos Sete Reinos...

Meu Deus, que intercurso antológico, que cópula memorável, que coito monumental!!! 

E o Cara MATOU a Kátia Flávia sem degustar tal Experiência uma única vez!...

JON SNOW É UM BABACA!

Muralha de Gelo foi pouco para ele!


(Ipanema 20190528)

terça-feira, 2 de julho de 2019

Mid-Year


Um ano não-bissexto tem 182 + 1 + 182 = 365 dias.

Este “dia central” (182 dias passados, e 182 dias por vir) é o dia 02 de Julho.

Portanto, ao meio-dia de 02 de Julho dos anos não-bissextos, Você está exatamente na metade do ano!


(Curiosidade mencionada por Carlos Alberto Sardenberg no Programa CBN Brasil de 02 de Julho de 2019... ao meio-dia!)

(Lagoa, 20190702)

quinta-feira, 20 de junho de 2019

O Pequeno Principe


 “Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.”

Tão linda e poética esta frase...

Principalmente se estiver grafitada em um muro descolado na Lapa ou Vila Madalena, sussurrada na boca carnuda de uma Miss ingênua ou apresentada em uma postagem piegas no Instagram!

Mas do lado de cá do Paraíso, quando uma Relação acaba, usualmente um dos dois deixa de gostar ou querer, e o outro não.

Ficamos então com uma pessoa Chata Angustiada de um lado, e uma Constrangida Acuada de outro. Ninguém se lembra então de Antoine de Saint-Exupéry, e se lembrar, o xinga!

Melhor Filosofia é a de Luiz Maurício Pragana dos Santos:
“Não é que eu não te queira bem / apenas não te quero mais.”

Trabalhemos com o que temos!


(Ipanema, 20190619)

quarta-feira, 19 de junho de 2019

Bula


Fico impressionado com a quantidade de gente que sabe exatamente o quê eu devo fazer para resolver a minha Vida.

O mais incrível é que tais “soluções” cabem em um box de WhatsApp!

Minha Vida deve ser muito simples, pois é gente que não consegue resolver a própria – mas a minha é fácil!!!


(Ipanema, 20190618)

domingo, 16 de junho de 2019

Um Ano A Menos


Nadia N.E.W.S. sempre comenta em seus aniversários:
- “Ufa! Um ano a menos!!!” (*)

Sempre adorei isto!

Recebo portanto com imensa Alegria no dia em que encerro meu 3º Ciclo de 21 Anos (ou o 9º Ciclo de 7 Anos) uma Mensagem dela às 0h52m:

“Querido,
P-a-r-a-b-é-n-s por MENOS um ano!!!”
 
Obrigado, Nadia!

Não é somente menos 1 ano!

É menos UM CICLO!



(*) Nota: o “Ufa!” às vezes é “Oba!”

(Lagoa 201956.06.16 Dia do Orgulho Robótico)

domingo, 9 de junho de 2019

Rammstein Neues Album


(***Warning***: texto de Fã, para Fãs!)

Dez anos de fila. O último álbum do RAMMSTEIN foi em 2009. Assisti a 2 shows daquela magnífica turnê “Aqui Tem Amor Für Alle Da”, no agora-extinto VIA FUNCHAL em São Paulo, a walking distance de minha Casa (sonho de consumo, acabou, virou Condomínio com 2 mega-prédios).

O tempo passava e nem sinal de novo Disco. Teria o RAMMSTEIN acabado? Depois da superexposição-mega-over de 2009 a 2014, fazia sentido.

Tenho TUDO que o RAMMSTEIN já lançou, um registro deste long-term relationship está na Postagem “Aqui Tem Amor Para Todos” (http://www.umpandaemsaturno.com/2010/11/aqui-tem-amor-para-todos.html).

Histórico sucinto da última década:

2009 – “Liebe Ist Für Alle Da” (LIFAD)
2010 / 2011 – Excursão mundial “LIFAD” (incluindo 2 shows no Via Funchal em novembro/2010) tocando o disco praticamente na íntegra, espetacular!
2012 – “Made in Germany” (MiG) (greatest hits 1995-2011, duplo)
2012 / 2013 – Excursão “MiG”
2014 – Excursão mundial “Estádios” tocando “MiG”
2015 – Vídeo “RAMMSTEIN in Amerika” com o show “LIFAD” (muito bom, gravado no MSG e Canadá exatamente 1 mês após os shows no Via Funchal, ou seja: é o show que eu vi)
2017 – Vídeo “RAMMSTEIN Paris” com o show “MiG”: medonho! Insuportável! Viadérrimo! Tomadas com duração sempre inferior a meio segundo, durante 100 minutos! (ou seja, 100x60x2= 12.000 tomadas! Cansativo, tedioso, babaca. Vi o lançamento mundial no Cinema, e abominei.)
2018 – Gravação do novo álbum, cercado de expectativas de Fãs (de minha parte, estava achando que a Criatividade teria sido soterrada por tanta repetição, e temia o resultado)
2019 – disco será lançado em maio... é “eponymous”... capa é um palito de fósforo... lançam teasers de alguns segundos de cada música, tocados somente por guitarras... surge o clip “Deutschland”, e logo os histéricos de plantão se ouriçam... surge o clip de “Radio”, a “Pussy” do álbum... chega 17 de maio, disco é lançado, mas somente estará disponível na Amazon em 26 de maio... lançado clip de “Ausländer” (que me lembra (o clip, não a música) “Ev’ry Little Thing She Does Is Magic”)... chega 26 de março, compro o disco, entrega é em Miami... 08 de junho (segundo sábado de junho, Dia Mundial do Gin), Brother GlouG back from Miami me entrega o CD. Dez anos passados desde LIFAD, finalmente está em mãos!

(Nota: somente ouço CDs, e sempre inteiros, considero-os obras completas, não dá para ouvir somente Uma Música ou Outra, comigo é tudo ou nunca mais.)

Todo este descritivo para apresentar minha ANSIEDADE de algumas horas atrás!

Noite de 08/jun/19, oiço o disco pela primeira vez. E odeio!!! Considero que chamá-lo de péssimo seria um elogio. Insuportável, patético, sem criatividade auto-complacente. Fico achando que a Banda vai acabar: não é possível sobreviver a uma Decadência tão acentuada. A cereja do bolo é “Puppe”, com Till berrando, urrando, “interpretando”, jorrando, botando as veias do cu pra fora, de minha parte é vergonha alheia, acho um saco, tem 4’30” mas demora o triplo.

Dou um tempo e dois tapas, e ouço outra vez. E na terceira audição já estou achando o Disco ÓTIMO! “Deutschland” é evidentemente a show-opener, perfeita para tal, da mesma forma que “Rammlied” era perfeita na abertura de LIFAD (disco e show, que aliás abria com as mesmas 3 Músicas iniciais do Disco). É muito fácil saber que a Galera vai ficar ENLOUQUECIDA com esta Abertura, marcio included.

Segue-se “Radio”, claramente a “Pussy” deste disco (sim, sei que estou me repetindo, mas acontece que penso isto toda vez que a oiço). Aqui e ali, some classic RAMMSTEIN, entremeado com coisas tecno-heavy-dançantes, experimentação de horizontes com os limites / a marca RAMMSTEIN. Consigo imaginar a Pista de Dança da JOHNNY’S BAND se esbaldando com “Ausländer” (a do Clip entre os Índios). “Diamant” é uma Frühling-in-Paris-tentative. E o trio final é puro, clássico, irrepreensível, até Progressivo.

“Püppe” continua intragável.

Antigamente ouvíamos 3 ou 4 vezes um Disco antes de formar uma opinião – e graças a isto o Rock Progressivo teve oportunidade. Hoje somos apenas... ansiosos.

Grande Disco. Ouça Discos inteiros. Ouça o neues album eponymous “Rammstein” (porra, não dava para darem um nome próprio para o Disco, cacete???)

(Será que eu fazer cópias do Disco para Amigos cortando “Puppe” é Censura ou é Higiene?)


(Lagoa 20190608 - Happy Birthday, VdG in Australia!)

quarta-feira, 29 de maio de 2019

Meio & Mensagem


Confesso que o esmero na aposição da Boa Nova me deixa algo apreensivo quanto à qualidade do ‘output’ da Modernização...


(Ipanema 20190528)

segunda-feira, 6 de maio de 2019

A Falta que uma Torneirinha faz


Quando Criança, por muitos anos acreditei que as Mulheres, por não terem “torneirinha”, eram incapazes de segurar o Xixi!


(Nota – não sei dizer se as demais Crianças portadoras de torneirinhas:
1. desenvolveram o mesmo raciocínio;
2. jamais se preocuparam com isto, ou
3. eram muito mais espertas e expertas do que Eu!
Caso queira registrar sua versão nos Comentários abaixo, fico-lhe grato.)

(Barra Shopping, 20190502)

terça-feira, 30 de abril de 2019

Stranded


Caro Mr. Garcia,

sempre me recordo de suas palavras já há mais de 1 década:

- “Eu até estava ouvindo o disco, mas quando o Brian Ferry começou a cantar em francês, para mim deu ‘chega’...”

Acontece que “A Song For Europe” é provavelmente minha Canção favorita do ROXY MUSIC!

Creio que não passe 3 meses sem ouví-la - o que estou fazendo à ce moment précis...

Portanto, meu pedido pessoal a Você (que me apresentou o ROXY, e que é muito mais Fã do Brian Ferry do que Eu) é:

Dê uma chance ao “Stranded”!

Ou ao menos: dê uma chance a “A Song For Europe”!

Merci!


(Nota: Talvez o Amigo não tenha reparado, mas nesta Música Mr. Ferry canta também em Latim!)

(Lagoa, 20190427)

quarta-feira, 3 de abril de 2019

Li Na K Rb Cs Fr


Em 1973 prestei Vestibular no Rio (ou “Rio de Janeiro”, como falam os não-íntimos).

À época, o Vestibular para todas as Universidades era centralizado em uma única Prova que definia para onde iriam no ano seguinte todos os Alunos que encerravam o Científico ou o Colegial naquele ano.

O Candidato (ou “Vestibulando”) preenchia uma Lista de opções por ordem de preferência. Por exemplo, a minha foi:

ENGENHARIA CIVIL
1ª Pontifícia Universidade Católica (PUC)
2ª Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
3ª Universidade Federal Fluminense (UFF)
4º Gama Filho (UGF)
, and so on.

Eram 5 matérias (“fecais?”, perguntava sempre meu Avô Gustavo) divididas em 4 Provas: Matemática, Física, Química e Português & Inglês. Estas Provas ocorriam no Maracanã ao longo de 1 semana (em dezembro, creio; as aulas começariam em março, seriam férias corridas com matrículas e decisões (2º semestre? manhã, tarde ou noite?)) com duração igual ou superior a 4 horas cada. A primeira ocorreu em um domingo, depois 3ªf, então 5ªf e a última no domingo. Ah, como era bom sair de uma Prova destas, ir direto tomar banho de Mar na Praia de Ipanema para descarregar toda aquela matéria (sim, fecal!) da cabeça e aliviá-la, deixá-la mais leve, com mais espaço para as matérias (“fecais?”) que ainda faltavam.

O sistema de pontuação era genial: havia uma Curva Normal de Distribuição das Notas, que variavam a cada prova +/- entre 200 e 900 pontos (podendo ir mais longe em ambas as direções), nota média 500. Somava-se a pontuação de suas 4 provas e este total dava sua classificação no Vestiba. Colocava-se então cada Candidato de acordo com sua pontuação e Lista de opções, e ia-se preenchendo as vagas por ordem. Lógica objetiva e inteligente.

Vim a ouvir posteriormente na PUC algo como “todo mundo que não faz Química ou Engenharia Química, detesta Química!” ou então “tem dificuldade com Química”, “não entende Química”, algo assim. Pareceu ser verdade, ao menos eu notava esta dificuldade na Galera e também em Mim. Mas pouco antes do Vestibular Cesgranrio aconteceu uma coisa curiosa.

Véspera da Prova de Química. RT-nini (que viria a se tornar renomadíssimo Advogado) me fala em desespero:
- “Eu não sei NADA de Química. O quê Você me recomenda?”
Pensei um pouco e respondi:
- “Bem, neste caso decore a Tabela Periódica! TUDO da Química está lá, tudo deriva dela, é a Base de toda a Química!”

No dia seguinte, sem qualquer aviso... e pela primeira vez na História dos Vestibulares... a Tabela Periódica veio IMPRESSA na Prova! Ninguém sabia, foi uma completa surpresa. Fiquei puto, pois sabia que estava perdendo uma vantagem competitiva sobre boa parte dos concorrentes.

Encontro RT-nini mais tarde, e pergunto acabrunhado (e meio incrédulo) se Ele tinha afinal decorado a bendita Tabela Periódica:
- “PORRA, passei A NOITE decorando a Tabela! Imagina o que senti quando abri a Prova!...”
Acho que para Ele foi pior do que para mim... Só pude me defender:
- “Bem, a prova de que eu estava certo e que era realmente importante é que até a imprimiram na prova!”


Neste 2019 a Tabela Periódica está completando 150 anos. Minha profunda admiração por aqueles que a imaginaram e desenvolveram. Passei para a desejada PUC (manhã, 1º semestre) e antes de acabar o Ciclo Básico já havia me transferido para a Engenharia Mecânica, sempre mantendo equidistante meu afastamento da Química.

E nunca esqueço algo que ouvi na Aula Magna, em um enorme e lotado Salão Nobre:
- “Nós aqui não formamos Engenheiros... formamos Cientistas!”


(Ipanema, 20190402)


sábado, 9 de março de 2019

O quê eu aprendi com a Capitã Marvel


Assisto “Capitã Marvel” no dia da estréia (no balneá-Rio), e o Arcanjo assiste no dia seguinte (em Sampa).

Minha nota para o filme é 6, e a dele é 10.

Não gostei do excesso de Poder da Personagem: é mega-blaster-hiper-Poderosérrima & Invencível, e resolve tudo na Força, nos Raios & na Porrada!

Passamos 44 minutos ao telefone, o tempo dele caminhar da Faria Lima até a Paulista.

Trocamos as considerações profundas e filosóficas de 2 Geeks convictos.

Arrastei P&M para o filme, coitados!
Não me recordo de como a Capitã resolve uma situação no início da película, quando foi capturada por inimigos e lhe foram colocadas “luvas” metálicas cilíndricas que a impedem de utilizar os poderosos raios de força (ou algo assim) que são emitidos de suas mãos. O Arcanjo me refresca a frágil memória que se foi em menos de 24 horas:

- “Ela usou MAIS força, e assim estourou as luvas que a continham!”

E complementa:

- “É esta a lição da Capitã Marvel: quando o uso da Força não funcionar... use mais Força!”


(Ipanema, 20190308)

Dia Internacional da Mulher


Devo parabenizar a Capitã
Marvel pelo Dia da Mulher?
08 de Março é um dos mais difíceis dias do ano para mim.

Considero uma completa pieguice termos um Dia da Mulher, Dia do Negro, Dia do Orgulho Gay ou coisas parecidas. São (a meu ver) “celebrações” que embutem uma inferiorização do “celebrado”; festinha na cabeça. “Olhe, hoje é seu Dia! Nós te consideramos, viu? Você tem até o Seu Dia! Comemore bastante! Parabéns!” Parece Dia das Bruxas ou Dia do Hamburger.

Talvez o erro seja meu. Como não consigo enxergar diferença entre pretos, amarelos, índios, albinos, orientais, brancos, mulheres, gays, homens ou whatever, também não enxergo motivo para enaltecer tal “diferença” que a meu ver não existe.

Talvez seja Idealismo demais de minha parte.

Mas meu problema é que Mulheres GOSTAM de ser parabenizadas nesta data! Dizem que não... mas GOSTAM de parabéns, de atenções, de flores e de chocolates (mas também, quem não gostaria?). E aí fica o Robô em um dilema: ou passa por Mal-Educado por não exaltar uma diferença que não existe, ou se comporta de forma hipócrita e dá parabéns por algo em que não acredita.

O dia 08 de Março é um dos mais difíceis dias do ano para mim.

Então...

Parabéns, Mulheres!

Eu ADORO Vocês!


(Ipanema, 20190308)