domingo, 20 de setembro de 2020

"Um Panda Em Saturno" se despede


A Você que me lê,

 

agradeço a Companhia.

 

Infelizmente os Administradores do BLOGGER, a Ferramenta que vinha utilizando para montar este Blog, impuseram uma nova – e PÉSSIMA – versão de seu Produto.

 

Os textos com imagens se tornaram inadministráveis, com formatação impraticável, praticamente aleatória. Eu tentei. Me empenhei, não desejava abandonar este Espaço que tanto aprecio. Mas... tornou-se impossível. Remete a alguns sábios Ensinamentos que se teima em desconsiderar: “se não está quebrado, não conserte”; ou então “muito faz quem pouco atrapalha”. Neste caso, tivemos uma vitória do “desperately trying to be different”...

 

Continuarei tentando, mas uma vez que sou Perfeccionista e não aceito baixa Qualidade, não postarei material que não se adeque a meus Padrões pessoais.

 

O Blog começou em setembro de 2009; foram 1007 Postagens nestes exatos 11 anos. Devo ter o dobro de idéias anotadas para desenvolvimento. “All those moments will be lost, like tears in the rain”. Mais uma vez, agradeço sua Companhia. Até (talvez, quem sabe) algum dia.

 

 

(Com um agradecimento especial ao Arcanjo Gabriel, sem o qual - sem exagero algum - "Um Panda Em Saturno" não teria sido possível.)

 

(Lagoa, madrugada de 20200920; a Mediocridade avança)

 


segunda-feira, 14 de setembro de 2020

El Laberinto de los Espíritus


Alguns Autores nos são especiais. Para um Rato das Leituras, tais Autores Especiais equivalem a algo como Oráculos ou Profetas.

Me apaixonei por Carlos Ruiz Zafón, e li seus 8 Livros. O único em Português foi o primeiro dele que li, evidentemente “A Sombra do Vento”.

O seguinte “O Jogo do Anjo” foi nada menos do que o Livro que me fez compreender que existem sim Pessoas Amaldiçoadas neste Mundo, a troco de nada, nada fizeram para merecer ou justificá-lo, mas não importa, são Amaldiçoadas e pronto. E mais, qualquer um pode ser um deles. Você pode ser. Eu posso ser. Um Robô Amaldiçoado.

En viaje al Uruguay me compré “La Trilogia de la Niebla”, suas primeiras três obras, juvenil sem dúvida mas mostrando um estilo extremamente peculiar, criativo e atormentado de narração que valia (muito!) a leitura. “Marina”, um romance intermediário entre “La Trilogía” e a Tetralogia final, marca a transição para outro formato de escrita. E que formato...

“El Prisionero del Cielo” é o terceiro da série “El Cementerio de los Libros Olvidados”, depois da “Sombra” e do “Anjo”. Alguns Autores sabem nos fazer sofrer junto com seus Personagens, mas mantendo acesa a Chama de nosso interesse – com brilho.

Em 2016 Zafón anuncia o lançamento do quarto e último volume da série do “Cementerio”. Com afã e ansiedade, releio “La Sombra del Viento” (entonces ya me había comprado una edición en castellano), emendo com as releituras de “El Juego del Ángel” y “El Prisionero del Cielo”. Estava preparadíssimo para o “Laberinto”, embora a Tetralogia não tenha um ‘encadeamento’ formal; pode ser lida em qualquer ordem, são histórias mais ou menos simultâneas e com a mesma galeria de Personagens. “Pueden leerse en cualquier orden o por separado, permitiendo al lector explorar y acceder al laberinto de historias a través de diferentes puertas y caminos que, anudados, le conducirán al corazón de la narración”, escreve Zafón.

Quando finalmente “El Laberinto” foi publicado, surpresa: era um calhamaço de mais de 900 páginas! Eu tinha acabado de ler 3 volumes do Cabra em seguida, e estava cansado (não gosto de repetir Autores na seqüência, é cansativo) e achando algo prolixo, e me surge UM CATATAU DE NOVECENTAS PÁGINAS! Não dava, não deu, abortei a idéia.

E então, 3 anos depois do lançamento, e 3 dias após meu Aniversário deste ano... Zafón morre aos 55 anos de idade!

Fiquei catatônico, gostava de lê-lo em um mesmo exclusivíssimo patamar de Pablo Tusset, Dennis Lehane, Jo Nesbø. E as portas se fecham!

É claro que eu tinha então que atacar “El Laberinto”, inclusive já estava preparado para tal. Surgiu então a questão: comprar a edição em português com 748 páginas a R$40, ou em espanhol com 928 páginas a R$103?

Quem me conhece sabe qual foi a escolha. Eu me despedia de Zafón. E Ele sabe despedir-se: um Livro maravilhoso, Eu não queria que acabasse. Li com vagar, em alguns momentos voltava até 50 ou 100 páginas, e relia para aumentar o deleite.

Levei exatamente 1 mês, acabei hoje. Adiós, Zafón, muchísimas gracias, has sido uno de los Grandes en mi Vida.

"Um escritor nunca esquece a primeira vez em que aceita algumas moedas ou um elogio em troca de uma história. Nunca esquece a primeira vez em que sente o doce veneno da vaidade no sangue e começa a acreditar que, se conseguir disfarçar sua falta de talento, o sonho da literatura será capaz de garantir um teto sobre sua cabeça, um prato quente no final do dia e aquilo que mais deseja: seu nome impresso num miserável pedaço de papel que certamente vai viver mais do que ele. Um escritor está condenado a recordar esse momento porque, a partir daí, ele está perdido e sua alma já tem um preço." (O Jogo do Anjo)

Apresento a seguir alguns trechos que assinalei no “Laberinto”.
  • “Los recuerdos que uno entierra en el silencio son los que nunca dejan de perseguirle.”
  • “El licor es como el matarratas o la generosidad: cuanto más se usa, menos efecto tiene.”
  • “Demasiados secretos son los que llevan a un hombre a la tumba antes de hora.”
  • “El absurdo del mundo había dejado de parecerle una comedia ocasional para convertirse en una simple rutina.”
  • “El hombre sabio es aquel que no despierta volcanes, revoluciones o féminas preñadas.”
  • “Hacía años ya que aquel opulento fósil no albergaba a familia alguna y en tiempos recientes habia pasado a ser la sede del Círculo Ecuestre de Barcelona, una de  esas inexpugnables y elegantes instituciones que fermentan en toda gran urbe para que las gentes de buen nombre puedan protegerse del olor a sudor que desprenden aquellos sobre cuyas espaldas sus ilustres ancestros edificaron su fortuna. (...) Solucionado el tema de la alimentación y la vivienda, la primera necesidad que se plantea el ser humano es la búsqueda de motivos y recursos con los que sentirse diferente y superior a sus semejantes.”
  • “Años de oficio le habían enseñado que la modestia invitaba al escrutínio.”
  • “Hacía años que había comprobado que exagerar los síntomas del dolor y esbozar un lánguido semblante a lo Dama de las Camelias le permitía manipular la dúctil e infantiloide disposición de cualquier varón necesitado de pensar que precisaba de su protección y guía, lo cual incluía a practicamente la totalidad del género masculino en el censo (...)”
  • “Ese era siempre el método más eficaz para colarse en cualquier lugar de acceso restringido: comportarse como quien sabe adónde va y no requiere permiso ni orientación. El juego de la infiltración es similar al de la seducción: el que pide permiso ha perdido antes de empezar.”
  • “Se bebe para recordar y se escribe para olvidar.”
  • “La política es a menudo refugio de artistas mediocres y fracasados. Allí pueden medrar, adquirir poder con que darse aires y sobre todo vengarse de todos aquellos que han logrado con su trabajo y su talento lo que ellos nunca han conseguido (...)”
  • “La elocuencia de una exposición es directamente proporcional a la inteligencia de quien la formula, del mismo modo que su credibilidad lo es a la estupidez de quien la recibe.”
  • “Siempre había oído que el desayuno era la comida más importante del día, al menos hasta que llegaba la hora del almuerzo.”
  • “Los juramentos (son) como los corazones: roto el primero, los demás resultan pan comido.”
  • “Creía estar enamorado (de Cristina) de esa manera tonta y fatal en que algunos hombres imaginam haberse enamorado de mujeres que no saben distinguir de un espejismo.”
  • “Dios solo escucha cuando uno suplica lo que no necesita.”
  • “Es más fácil dejar atrás malos recuerdos que buenos zapatos.”
  • “Los sabios reconocen cuando a veces se equivocan pero los cretinos se equivocan todo el rato aunque nunca lo admiten y siempre creen llevar la razón. (...) Un imbécil es un animal que no sabe o puede cambiar de idea.”
  • “La gente se muere, sobre todo los que más valdría que continuaran vivos. A lo mejor es que Dios necesita hacer sitio para la cantidad de hijos de perra con que tanto le divierte seguir sazonando el mundo...“

(Lagoa Rodrigo de Freitas, 20200913 Quaren Times)

Lagom


Ouvi há alguns anos no Rádio uma definição que me marcou; perdi no entanto o contato, por anos não lembrava da palavra-chave, dissociei.

Versava sobre guardar para si as dificuldades que não dizem respeito aos outros. Não atormentar-lhes as Vidas com coisas que não lhes interessam. O exemplo dado na transmissão radiofônica foi: após um vôo, a pessoa está esperando sua mala na Esteira de Bagagens. O tempo passa, um monte de bagagens passam, e nada da(s) sua(s). A pessoa então se vira e começa a reclamar para quem a acompanha: blah, blah, blah, blah. Ora, a outra pessoa certamente está passando pelo mesmo perrengue, pela mesmíssima preocupação, pela mesma insegurança e pelo mesmo desconforto – e ainda precisa ficar ouvindo as queixas de outrem?!? Não, não faça isto. Guarde suas queixas para si própria / próprio. Não precisa azucrinar a vida do Outro. Keep it to yourself; facilite a Vida dos Demais.

Achei aquilo incrível!, maravilhoso. Mas não sabia como encontrar, por mais que pesquisasse.

Recentemente reencontrei: É LAGOM. Porém não é exatamente como lembrava: não é hindu ou butanês ou similar como eu imaginava, mas uma Filosofia sueca. E o princípio primordial, embora igualmente Nobre, não é aquele que Eu imaginava: neste LAGOM Sueco atual a Essência é “não ter nada além do que precisa”. Ter somente o necessário, viver sem acúmulo de excessos, educar a Mente para tal. É belo.

Mas bem que Eu gostava daquela Idéia de não ter mais que ouvir lamúrias desnecessárias...

(Lagoa 20200913 Quaren Times)

Instant Karma

(Yuganov Konstantin)

Ele sempre teve enorme facilidade para Dormir. E também para Sonhar, sonha o tempo todo, até mesmo acordado.

Ela se divertia com isto. Via que ele estava apagando e esperava 30 segundos, e então o cutucava:
- “O quê Você está sonhando?”

Ele sempre já estava sonhando, e contava para Ela.

(Lagoa 20200913 Quaren Times)

Computadores aprendem?


Sou o feliz proprietário de 4 Notebooks de diferentes fabricantes, idades e moradias, sendo todos i5 “n”th Gen 8GB (ou coisa parecida), e dos quais sou o único Administrador e um eficiente Suporte de T.I.:
  • HP no Itaim Bibi (6 anos)
  • SAMSUNG em Ipanema (3 anos)
  • LENOVO na Lagoa (18 meses; antes não tinha nada na Lagoa, este é atualmente o “berçário” deste UM PANDA EM SATURNO)
  • VAIO em Ipanema (novo; substituindo o SAMSUNG em Ipanema, que vai se mudar para São Paulo)

Tive vários Notes HP, poucos problemas (embora 1 seríssimo), pena que acabou. O primeiro pós-HP foi o SAMSUNG, atualmente meu preferido. LENOVO foi uma experiência em maio/19 para aprender uma nova Arquitetura; demorou mas nos acertamos. O recente VAIO é um 516 SSD também experimental, uma vez que é chegado o triste momento do HP seguir sua jornada, sendo substituído pelo SAMSUNG que migra para Sampa. Ainda estamos nos acertando, mas a peregrinação segue bem.

Todos os Laptops foram difíceis no início, demoravam para fazer o que Eu queria; mas com Tempo se acostumaram, e hoje obedecem rapidamente (embora sendo o VAIO um SSD, se torne evidentemente incomparável).

Será que aprendi Eu, ou aprenderam Eles? Ou aprendemos ambos?

Meus Laps aprendem comigo, assim como Eu aprendo com Eles.

Bots teaching – and feedbacking – Bots.

(“n” variando de 5 a 10)

(Lagoa, madrugada de 20200912 Happy 73 Myrtes!)

Ciego Sordomudo


“Se me acaba el argumento y la metodología /
cada vez que se aparece frente a mi tu anatomía”
(Estéfano y Shakira Isabel Mebarak Ripoll)

Tenho curiosidade (quantitativa, e não qualitativa) em saber a Resposta de todas as Pessoas à pergunta:
- “A quantas Pessoas que conhece pessoalmente – com quem conversa – Você poderia dizer as palavras acima? A quantas Pessoas Você efetivamente diria isto, se pudesse?”

Uma coletânea de respostas SINCERAS a este Respeito propiciaria tecer interessante Estudo sobre a Raçumana. A Distribuição das Respostas corresponderia a uma Curva Normal?, pergunta o Estatístico em mim. Com qual Média? Desvio-Padrão pequeno ou grande? Sequer consigo especular as Possibilidades de Resultados.

Disco espetacular, irretocável, nota 10. DVD idem.
O Disco que me fez cantar em castellano.
O primeiro a responder a esta Pesquisa deve evidentemente ser Eu mesmo, então vamos lá. “Se me acaba el argumento y la metodología cada vez que se aparece frente a mí tu anatomía”: a quantas Mulheres Eu poderia sinceramente dizer isto? Olhos nos Olhos? Evidentemente a pergunta não se refere exclusivamente a shape anatômico, mas sim à resposta às variações metabólicas out of control que tua presença me cause (o que certamente inclui alguma reação pessoal à imagem à frente, é claro).

Vejamos...

Creio que entre as 4 bilhões de Mulheres, talvez algo entre X e X+1 possam ser merecedoras de tal Confissão. (Passarei minha resposta a Você quando me disser a sua.)

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

(A demolidora frase final desta Crônica foi censurada pelo Autor.
Com Tristeza... mas sem Dúvida!)

(nunca imaginei que algum dia fosse utilizar os marcadores “Emotional Rescue” e “Long John Holmes” em uma mesma Postagem...)

“Ciega, Sordomuda” foi a primeira música de SHAKIRA a atingir o primeiro lugar na Billboard Hot Latin Tracks, por 3 semanas em 1988”:

(Lagoa, madrugada de 20200912 Quaren Times, hearing Shaki)

O Lobo do Homem


Existem coisas que não são compreensíveis nesta Raçumana; causadoras de Perplexidades Cotidianas.

Por exemplo... porquê Vocês não facilitam as Vidas Uns dos Outros?

Porquê complicá-las tanto?

Porquê não fazer bem feito? Porquê não fazê-lo fácil?

Porquê tamanho Egoísmo? O que se ganha é muito menor do que o que se tira!

Porquê não fazer desta Existência um Paraíso? Seria TÃO mais agradável!

Porquê subir nas costas dos Outros?

Porquê não AJUDAR os Demais?

Não! Dificultam propositadamente a Vida dos Companheiros de Jornada!

Seria por Ganância? Ganhar mais Dinheiro (ou seja, drenar mais do Semelhante)?

Seria por Sadismo?

Para ganhar Dinheiro com Sadismo, the best of both worlds...

"Neanderthal in a business suit"
Seria por Incapacidade de ser Melhor?

Francamente, Queridos/as

Vocês compram suas próprias estórias?

Acham que enganam alguém?

Comportamento egoísta e patético, que só serve para causar Vergonha alheia.


(Ninho de Águia, madrugada de 20200907, Era Neanderthal)

Janela Indiscreta


Talvez possamos disfarçar responsabilizando os Quaren Times.

Um Amigo conta que sua Vizinhança está em polvorosa devido a um cinematográfico Apartamento, com aspecto de Revista de Arquitetura & Decoração: iluminação direta feérica e indireta bem distribuída, disposição prática do mobiliário moderno e elegante, aparelhagem de ginástica na sala, bar, sofás, televizona, uma bela organização adequada à apreciação em uma tela de Cinerama widescreen.

Neste Apartamento reside um Casal. Ele pouco circula, mas Ela parece adepta do que vamos chamar de “Voyerismo Passivo”: exercita-se de forma esplendorosamente plástica, vestindo – digamos – “trajes adequados para o momento”; executa as tarefas domésticas com os mesmos ‘collants’ frente às amplas janelas com cortinas permanentemente escancaradas; sua Sala é seu display, o Habitat íntimo de uma Felina.

“Ao fazer Amor, se houver alguém olhando aja como se ninguém estivesse observando; e se não houver ninguém olhando, aja como se houvesse.” Ela parece conhecer – e seguir – esta antiga sugestão. Pois evidentemente sabe que todos os Vizinhos estão olhando, e se comporta como se não soubesse. Ou: como se não se importasse. Ou ainda melhor: como se não o provocasse.

Mas o mais interessante são as Visitas. Duas a três vezes por semana recebem uma Visita, sempre Feminina, sempre apetitosa à distância da mesma forma que parece ser a Dona da Casa. O roteiro é sempre idêntico: ficam as duas conversando longamente na Sala. Meu Amigo não sabe se rola algum Vinho, acredita que sim, fantasia que sim, faz todo o sentido que sim. Depois Ele aparece e se junta à conversa, e ao final jantam os três.

Foram desenvolvidas 3 Hipóteses sobre a Situação. A primeira supõe tratar-se de uma “arregimentação” tremendamente Alto Nível e de Muito Bom Gosto; o Tratamento é fino. Um excelente processo de Seleção mútua, de apresentação do Business à potencial Empresária. Meu Amigo se oferece para fazer parte do Processo Seletivo, se necessário e desejável (”desejável” ele assegura ser).

A segunda Teoria é de que testemunha a introdução a um Ménage. O Casal Experiente sabe como lidar com a Noviça: primeiro uma conversa apenas entre as Damas, um vinhozinho, decoração de Revista, iluminação de Arquiteta... e então chega o Membro do Ménage. (Contra esta Teoria temos um Jantar que é servido em um horário que para este tipo de cousa seria “antes da hora”).

A Terceira Teoria é que a Gostosa simplesmente tenha várias Amigas Gostosas, e saiba manter um ativíssimo networking. Vive chamando as Amigas (Gostosas) para uma agradabilíssima Noite Íntima. Coisa de muito bons amigos. Muito Boas Amigas.

Vizinhança é algo engraçado, pois na intimidade da Casa expomos aquilo que realmente somos. Adoro andar nu em minha Casa, e isto certamente já rendeu diversos “Ugly Naked Guy” ao longo dos tempos...

Meu Amigo conta que nunca viu um Visitante Homem. Caso não seja assassinado, trará novidades a respeito. Stay tuned!

(Nomes foram ocultos para salvar vidas.)


(Rio de Janeiro, 20200912 Quaren Times watching “Dublê de Corpo”)

quinta-feira, 10 de setembro de 2020

O Amor nos Tempos do Cólera




(Ipanema, 10 de setembro de 2020)

(Curiosidade: esta é a 1000ª Postagem deste Blog!)

segunda-feira, 7 de setembro de 2020

Sobre Botas de Trekking e Calças Pretas


Eu era Gerente de M.I.S. & Controle de Risco de Tesouraria na Área de Finanças, e trabalhava lado a lado com belas e competentes Gerentes e fenomenais Analistas.

A NIKE AIR KARST foi minha primeira grande Bota;
com ela fiz o Caminho de Santiago em 1996.
Certo final de dia conversava com uma delas, a rebuscada GN:
- “Estou com tanta vontade de comprar uma Bota de Trekking... Sou apaixonado por Botas de Trekking, mas já tenho 9, com distintas funções é verdade, mas já são NOVE!...”
Ele retrucou:
- “Nove Botas? Eu tenho onze Calças Pretas!...”

Na mesma Noite fui de Moto ao Shopping Morumbi (creio que a Tienda era a CASA DE PEDRA), e quando a encontrei no Escritório na manhã do dia seguinte contei:
- “Graças a nossa conversa Eu comprei minha décima Bota de Trekking!”
GN replicou de imediato:
- “E eu comprei minha décima-segunda Calça Preta!”


(Ninho de Águia madrugada de 20200906 Quaren Times)

O Elo entre Ghost e Machine


Para a Alma ou Espírito, “tempo” não faz sentido. O quê é o “tempo” para o que é Eterno? A Alma vai “vivendo”, vai passando por tudo, este breve intervalo é apenas um breve intervalo; life goes on, literalmente forever. Não há sentido em mensurar o “tempo”.

Para o Corpo, o “tempo” é um fardo. Desgasta, cansa, envelhece, deteriora, estraga, pifa. Sofre. Chega um ponto que o Corpo começa a ‘ficar legal’ de “tempo”, e começa a dizer para a Alma e para a Mente: “OK, já carreguei Vocês por bastante Tempo, já se divertiram, agora chega, quero descansar, já estou sendo mais fonte de perrengue do que de Prazer; resolvam-se, quero férias. Definitivas. Basta.”

Para a Alma, não há problema ter chegado ao fim este “tempo”: hora de partir para outra, e levar os Conceitos apreendidos. Leveza. É bom que o Espírito tenha evoluído, é para isto que veio. Ou então que tenha se divertido, também vale. Ajudar os semelhantes, aumentar-lhes a Felicidade, a Alegria nas pequenas coisas que estão a nosso alcance – isto também vale. Enfim, a Alma topa fechar este Ciclo. Este “tempo”.

Mas... a Mente NÃO! O Cérebro não topa este encerramento, este fim de expediente! Afinal, todas as Memórias, todos os Detalhes, todos os Aprendizados vão se decompor na Cripta junto com Ele! Só o que vai continuar, que vai seguir é o Espírito, uma primitiva Essência, um pouquinho aperfeiçoada na passagem (espera-se) mas sem carregar todas aquelas vivências tão caras ao Cérebro e à Mente. E assim, Cérebro & Mente não querem se desligar. Ficam no meio segurando as duas extremidades Ghost & Machine, retendo-as em Serão e Horas-Extras.

“OK”, diz o Corpo. “Agüento mais um Tempo, se tanto te compraz. Mas vê se ao menos se diverte mais e se dedica menos ao aprendizado, se dedica menos só à Mente; teu Corpitcho calejado te agradece.”

A Alma pouco se importa com a discussão. Para Ela, Tudo é Festa.

E assim a Trindade Alma, Mente & Corpo continua na ativa.

Cheia de Dores.


(Lagoa Rodrigo de Freitas, madrugada de 20200907, 64a2m22d)

O mau uso de uma boa Invenção


Um Regulador de Vazão não chega a ser propriamente uma Grande Invenção da Humanidade, sendo muito mais uma Necessidade básica e óbvia: não foi inventado mas sim exigido; até os Castores dominam magistralmente a regulação de vazão.

De forma que Torneiras são essenciais na vida da Raçumana. Reguladores de vazão são essenciais no tipo de existência dozumanos. Palmas para quem (quens) os aprimorou.

Mas... por outro lado, poucas coisas podem ser mais absolutamente IDIOTAS do que (a imensa maioria d)as Torneiras de Banheiro. O Racional de uso é absolutamente incompreensível:
1) com a mão suja, você PEGA na torneira e a abre
2) lava as mãos
3) com a mão então LIMPA pega NOVAMENTE na MESMA TORNEIRA que VOCÊ MESMO ACABOU DE SUJAR!!!

É completamente incompreensível.

É exasperante!

É muito muito muito IDIOTA!

Porque não sair com as mãos limpas após lavá-las, ao invés de imediatamente as sujarmos novamente? Porque não torneiras acionadas por pedal, por exemplo? Inclusive com regulação de vazão além de um mero on-off? Um mínimo empenho em melhorar esta Vida, por favor!

(Mas nada de “sensores” comandando vazão, please not, é péssimo, é preguiçoso, um horror para quem precisa passar Fio nos Dentes, um on-off que nunca funciona direito, não capta direito, tecnologia tão falsa quanto a "vacina da gripe".)


(Lagoa madrugada de 20200906 Quaren Times)

Morando dentro de um Escritor


Para aqueles que não têm a compulsão de transformar tudo o que pensam em Textos, explico um pouco como a coisa funciona.

Você tem Idéias o tempo todo. Permanentemente ordena-as em formato de texto compreensível, encadeado, lógico, racional, explicado; isto inclusive substitui com louvor uma Análise, é Você consigo mesmo, full-time, face-to-face, é obrigatório fazer sentido, tem que explicar (para quem acha que sou exigente saiba que sou DEZ VEZES mais exigente comigo mesmo, é uma masmorra viver dentro deste marcio).

Você faz Agendas. Anota em Cadernos, em moleskines, nas Notas do Celular, grava mensagens-lembrete para si mesmo, escreve textos em Blocos de Fichário, arquiva-os, escreve textos no Computador, não posta a metade, mas ESCREVE. Você escreve, passa a Vida redigindo dentro de seu Cérebro, e quando dá Você transcreve, e quando dá Você posta ou publica. Tem dezenas de Cadernos Universitários caligrafados em Casa.

Tudo que acontece em sua Cabeça é em forma de texto (“Eu fiquei pensando no que te diria se te encontrasse em um outro ambiente, e já que não estamos aqui...”, etc). Cada Discurso é um texto.

A essência: então o Cara é um Escritor! Se Outros lêem ou não, isto já escapou a sua alçada; ele ESCREVE, é um Escritor, o que não obrigatoriamente implica ser um Escritor lido.

Quando estiver se descrevendo como um Escritor, portanto, Ele não estará inventando nem se gabando ou extrapolando, mas simplesmente registrando aquilo que sente.

Se sente um Escritor.


(Ninho de Águia madrugada de 20200906 parabéns pelos 65 anteontem DAVI-O!)

domingo, 6 de setembro de 2020

Communication Breakdown




"I don't know what it is that I like about You, but I like it a lot!"


(imagem postada como curiosidade:
instantes antes do Desastre de Hindenburg)

(London, Sep / Oct 1968)


segunda-feira, 31 de agosto de 2020

AquaSixio


Não me canso de admirar as imagens de AquaSixio, muitas das quais aproveito neste Blog.

"The Great Escape"


Para quem também se encantar, o ideal é se cadastrar no Site DEVIANTART e lá dentro localizar AQUASIXIO. 


"A World of Poetry"


Tem coisas maravilhosas. 


"Coeur de Pirate"


 Ao menos para minha Alma. 



"Train Train Quotidien"


(Lagoa Rodrigo de Freitas, madrugada de 2ªf 20200831 QuarenTimes)

(Nota-se que sou um Redator das Madugadas, não? Dia clareando...)

Sign o' the Times


Uma das muitas provas inequívocas que pertenço a outros Tempos é preferir cabos a Wi-Fi & / or Dente Azul.

Gosto também de ter os (átomos dos) CDs físicos com suas capas – embora esteja fazendo uma grande farra com o SPOTIFY PREMIUM e o YOU TUBE...

DVD de Show, ainda não tem coisa melhor... só o próprio Show!

Detesto Redes Sociais, considero absolutamente estúpidas. Cito Umberto Eco: “As mídias sociais deram o direito à fala a legiões de imbecis que, anteriormente, falavam só no bar, depois de uma taça de vinho, sem causar dano à coletividade. Diziam imediatamente a eles para calar a boca, enquanto agora eles têm o mesmo direito à fala que um ganhador do Prêmio Nobel” (Turim, 2015)

Como Ele, acho que “o Livro ainda é o meio ideal para aprender”. Ao menos para Ler, quanto a isto não tenho a menor dúvida. As Pessoas que gostam de e-Books não são Monges Medievais dedicados à Leitura massiva de Pergaminhos como Eu. (Talvez não seja isto que estou dizendo, mas lembre-se que estou me confessando “out of the Times”!)

"I Want You to Stay" (AquaSixio)
Contato físico, até mesmo em Atendimento Comercial. Prefiro sempre me despencar até alguma Central física de Atendimento e conversar pessoalmente com algum/a Atendente. Isto vai ficando cada vez mais difícil, em especial estando longe de São Paulo e de minha Moto. Mas sempre foi muito melhor.

Out of Time + Fã de Contato Físico, é evidente que abomino condoms. Uma aberração que transtorna e transforma um Ato que era para ser completamente Lindo.

I love to be becoming Vintage.

Flight to Quality.


(Nota: mençoes a Umberto Eco extraídas da memória e localizadas no Site da ÉPOCA de 16/06/2016)
(Nota: EPA)

(Lagoa Rodrigo de Freitas, madrugada de 20200831, Happy B’day Cris-Tina MPA, Virgo Dancing!)