sexta-feira, 23 de agosto de 2019

Living in the Past



É risível – e não existe termo mais adequado – a arrogância que as Pessoas exibem quando se referem a procedimentos da Raçumana no Passado. “Antigamente era assim”, arrotam os soberbos com ares de superioridade evolutiva, sem no entanto levarem em consideração que para aqueles que vêm à frente, este Presente é o Passado; e mais, um Passado distante e muito ainda próximo da Era do Pau & Pedra Lascada.

Alguém tem alguma dúvida de que esta Atualidade será ridicularizado no Futuro? Alguém realmente acha que a Raçumana já desenvolveu a Vacina para a Gripe, por exemplo? Os vacinados desta 2ª década do Século XXI serão chamados de “cobaias” em um Futuro que nem é muito distante. O desprezo pelo Lixo, o Consumo desordenado, o Egoísmo inconseqüente. A atualidade é Primitiva: Valores, Processos e Visão.

"Capitão, o Senhor está me pedindo para
montar um circuito de memória mneumônica
usando pouco mais do que pau e pedra lascada!"
Ao invés de olhar o Passado com desdém, a Humanidade deveria olhar para o Futuro com Humildade. Comparemo-nos ao Futuro, e não ao Passado. Nivelar por cima, e não por baixo. Raise the bar. Aos olhos do Porvir, somos pouco mais do que Bárbaros.

E analisando franca e friamente, não é necessário avançar muito no Futuro para enxergar a fragilidade e inferioridade da contemporaneidade.


(Ipanema, South America 20190822 – lost & doomed in the beginning of the twentieth first century)

quinta-feira, 22 de agosto de 2019

Meu Primo João


Passo a Vida garimpando Inteligência, Cultura e Honra.


Meu Primo João tem a mesma dependência que Eu quanto a papel-toalha. Ele me ensinou seu método pessoal, que considerei irrepreensível: simplesmente carrega o rolo inteiro de papel-toalha pela casa, para onde quer que esteja, principalmente em refeições! De uma praticidade e clarividência ímpares; quando Você me vir carregando um rolo, já sabe quem estou reverenciando.

Certa vez conversava com Ele a respeito das dificuldades de escrever e tornar público aquilo que penso. Dependendo do Texto, uma ou outra Pessoa pode se sentir ofendida, magoada, melindrada. E com isto cresce imensamente a quantidade de Ensaios que escrevo e não posto. Chamo tais Textos de “Panda Unpublished”. Pois João me falou que um Escritor não pode se importar com a reação de quem quer que seja. Ele escreve o que sente, coloca sua Alma para fora; e quem não entender, não concordar, ou se sentir ofendido, que pare de lê-lo. Mas que não prive os muitos por causa de alguns poucos. Dar a Cara a tapa, se expor, e aturar as conseqüências; esta é a estrutura do Escritor. (Embora concorde plenamente com Ele, ainda não cheguei a este nível de Coragem; continuo me preocupando com as poucas Pessoas que ficarão desagradadas. Mas confio que um dia chegarei onde João idealiza.)

Ele jamais recomenda um Livro. Cada conversa significa a recomendação de dez ou doze, sobre os mais variados assuntos, complexos, profundos, esclarecedores e divertidos, sempre inteligentes, sempre instigantes, sempre descortinadores de horizontes. Leio em média 1 Livro por mês; creio que em toda a minha Vida não conseguirei chegar a ler sequer a metade dos Livros que Ele me sugeriu.

João é uma Pessoa Iluminada. Não vou me estender (e “estender” aqui é a Palavra perfeita) sobre suas conquistas acadêmicas, profissionais e pessoais. Apenas registro que se fosse estabelecer “notas” para Inteligência Abrangente + Cultura Útil, nunca conheci alguém que conseguiria uma Soma maior do que Ele.

I Love You, John!

Nós todos te amamos, João!

Todos que te conhecem te amam.


(Cosme Velho, 20190821; Happy Birthday Wanda GG!)

Atualizando a Expressão


Ex-Mulher de Amigo meu, pra mim é Ex-Homem!


(Ipanema, 201908201; 121 anos CRVG)

segunda-feira, 19 de agosto de 2019

Bonus Tracks



Brother Gloug – o Maior Fã dos ROLLING STONES ever, limítrofe, acima disto é Doença – tem uma opinião antológica sobre o famosérrimo álbum “Sticky Fingers” (1971):

- “O disco tem ‘Can’t You Hear Me Knocking’, e todo o resto são bonus tracks!”


(Degrau Leblon, 20190817)

A Safira de Bombaim



Influenciado por Brother Gloug, experimento um Gin com Citrus Schweppes.

Um único copo é suficiente para me transtornar o Cérebro, o que me lembra a letra de “You” do disco “Face Dances” (1981) (tem a fenomenal “You Better You Bet”) do THE WHO:

“One look, and I’m hooked...”


(Degrau Leblon, 20180817)

Cinderella Search


Sem questionar o Prêmio Nobel de Literatura concedido a Robert Zimmerman – nunca fui Fã do Cabra, e portanto não conheço suas Lyrics – sempre tive queda por Músicas que falassem de Dores de Cotovelo terminais, Corações Partidos, Sofrimentos abissais por Amores não correspondidos, Fim do Mundo por causa de alguém que não quis.

RIC OCASEK (via THE CARS) e SHAKIRA, por exemplo, foram grandes expoentes deste tipo de lamentação pública.

Quantas milhares de vezes ouvi “Lost & Found” do GOLDEN EARRING ("Cut", 1984) por pura Deprê de abandono? (embora dor de cotovelo não seja especialidade dos holandeses):

“I am not an object
Somethin' you throw away
I am no piece of junk
That's been left on a stationary train
Won’t you get a message
To the one who's gonna set me free
Tell her to hurry, tell her to recognize me
'Cause I'm beginning to believe
That forever I'll live on a shelf
Of the lost & found
Between a cane and an umbrella
A wallet and a chain of keys (...)”

"We are all FUGAZI!"
Mas imho, o melhor Letrista da História, o mais complexo, o de mais brilhantes construções, melhores interpretações, maior genialidade no uso de construções, é disparado Derek William Dick, a.k.a. FISH, o eterno Vocalista do MARILLION. As letras do Disco “Fugazi” (1984) são as mais complexas de todos os tempos, e quem souber cantá-las de cor merece proficiência automática na Língua Inglesa.

Apresento abaixo alguns extratos da Letra de “Cinderella Search”, que não foi lançada em nenhum Disco oficial da Banda. Escolhi estes trechos não em função da complexidade presente em outras canções, mas pela forma que aborda meu assunto preferido:

“(...)
in a marquee of promises,  I touched a dream, I held a dream, I had a dream / to end the Cinderella search
(...)
maybe it was infatuation or just the thrill of the chase
maybe you were always beyond my reach, and my heart was playing safe
Was it love in your eyes I saw, or just the reflection of mine?
I'll never really know for sure, you never really gave me time (...)”

E a Música termina com o massacre final definitivo sendo repetido diversas vezes:
“Welcome back to the Circus!”

Ouça “Cinderella Search”.

Ouça “Fugazi”.

E ouça “Lost & Found”!


(Ipanema, 20190818)

O Isqueiro Russo


Quando fui ao Polo Norte, visitei Longyearbyen na Ilha de Svalbard.

No dia 06 de fevereiro de 2013 fiz um longo Safari de 9 horas em Snowmobile, rodando mais de 100km. Almocei na cidade russa de Barentsburg, cuja austeridade exterior refletia e ressaltava o frio intenso da região, chegando a nos fazer imaginar a Sibéria!

Lá tomei Vodka (é claro) e visitei a Lojinha de Souvenirs (é claro!!!).

Comprei um belo isqueiro russo, que recentemente deixou de funcionar.

Levei-o então a um especialista na Rua da Quitanda (Centro – RJ), a quem contei esta história.

Ele examinou o Isqueiro e sentenciou:

- “Você comprou o isqueiro na Rússia... mas ele é chinês!”


(Nota: maiores detalhes a respeito deste dia na Postagem "Snowmobile em Svalbard" http://www.umpandaemsaturno.com/2013/02/snowmobile-em-svalbard.html)


(FGV-SP, 20190805)

Matéria Prima


A Vida é feita de pequenas Vitórias e grandes Derrotas.


(Via Dutra, 20190721)

terça-feira, 13 de agosto de 2019

Dedicação


Dedicação é (por exemplo)

deixar crescer uma barba horrorosa / (pavorosa)

que te deixa com uma Cara pavorosa / (horrorosa)

só porque Você não tem Tempo

para nenhuma Outra Coisa mais.


(Ipanema, 20190812)

Cardápios


Era a primeira vez que saíam juntos sozinhos, era a primeira vez em muito tempo que Ele convidava uma Mulher para Jantar. Mas longe de deixá-lo nervoso, isto o fazia eufórico.

Em determinado momento, em uma completa surpresa até para Ele mesmo, regurgitou:

- “Olha... vou te contar como Eu funciono, para Você não perder tempo (“e nem Eu”, mas isto Ele não disse).
Existem alguns caminhos distintos mas não são muitos:
- Só sei me envolver se for me apaixonando. Não sei ser “one-night-stand”; não dá tempo para mim. Ou tem meu Coração, ou não tem Eu;
- Ou talvez a Pessoa não queira nada mais “denso” comigo, queira apenas ser Amiga, trocar idéias, observações, filosofias & venenos, topo, estou precisando, adoro conversar, e tenho tido tão poucas oportunidades. E quem não quer ser Amigo de um Mulher tão Bonita?
- Talvez Você venha a se interessar em me ensinar a ser um Ser diferente deste Covarde atual que só sabe se apaixonar? Ensinar a me envolver sem me envolver? Ser a Professora de um Modelo (novo para mim) de  Relação menos... comprometida? Eu adoraria ser seu Aluno particular, topo se Você topar!
- Ou finalmente talvez Você não queira saber de olhar para a minha Cara nunca mais, jamais vou entender o porquê, mas isto acontece, então, bem, well, Você escolhe, quando quiser, e pode mudar de idéia, afinal é a Mulher quem decide mesmo.”

Ela ficou olhando-o, sentiu vontade de fumar, bebeu dois goles da Champanhe, sempre contemplando seus Olhos, e então falou:
- “Olha, vou te contar como Eu funciono...”


(Ipanema, 20190812)

quarta-feira, 7 de agosto de 2019

Quando 2 Rodas atrapalham 2 Rodas


Vejo acontecer com Bicicletas e Patinetes o mesmo que já vem ocorrendo há décadas com Motocicletas.

Comprei minha primeira Moto em 1982, alguns meses antes de completar 26 anos. Não fui um “early arrival”, mas àquela época a participação de Motocicletas no dia-a-dia era muitíssimo inferior à atual. Um Motociclista era então quase uma exceção, e vem desta época o hábito (quase esquecido atualmente) de nos cumprimentarmos quando parados em sinais de trânsito.

Entre os muitos problemas que os motociclistas sempre enfrentaram, veio uma má fama causada por maus motociclistas. Gente que subia nas calçadas, avançava os sinais, buzinava esganiçadamente, forçava a barra, colocava em risco os pedestres, automóveis e até os próprios colegas motociclistas. Isto existe até hoje, é claro.

Sempre fui avesso a “sentimentos de classe” do tipo defender outro motociclista só porque “é da panelinha”. Jamais! Deve-se defender quem está com a razão, esteja ela de que lado estiver. Maus motociclistas que causam acidentes são responsáveis por má fama e má vontade dos demais condutores quanto a nosso meio (livre) de locomoção. Um motociclista que faz cagada deve ser criticado e repreendido, e não defendido a qualquer custo. Ele está comprometendo “a Classe”!

Passaram-se os anos e veio então a onda das Bicicletas. Já fui atropelado 5 vezes por elas: duas na calçada, duas em faixa de pedestres estando o Sinal aberto para mim, e uma na contramão. Ouvi o imbecilérrimo argumento: “sorte sua que não era um carro”. Não é Sorte, não; se fosse um Carro, eu simplesmente não teria sido atropelado. Como jamais fui.

Surgem então as Patinetes, ameaçadora e covardemente enxotando Pedestres para fora de suas calçadas.

Este texto seria então um libelo contra Bicicletas & Patinetes? Absolutamente NÃO!!! O problema não são Bicicletas e Patinetes (e nem Motos), mas sim os MAUS ciclistas, os MAUS patinetistas, os MAUS motociclistas. São eles que levam má fama a todos os BONS usuários; são eles os camarões podres que estragam uma panela inteira de bons camarões.

Minha sugestão – e isto vale para todos, também para torcedores do seu Time que causam transtorno e arruaça, para pessoas de seu País que fazem baderna e sujam sua nacionalidade no exterior, para maus condutores de quaisquer veículos – é portanto: não acoberte o mau comportamento só porque ele é da sua tchurma. Critique-o, condene-o, eduque-o, civilize-o.

Se alguém usar uma Chave de Fenda para matar outra Pessoa, isto não torna as Chaves de Fenda instrumentos do mal.

Nem as Bicicletas, nem as Patinetes.

E nem as Motocicletas.


(Ipanema, 20190806)

sexta-feira, 2 de agosto de 2019

Significado de Nome


"Este é Você", disse Ela ao me entregar o Quadro

A melhor observação a respeito de meu Nome foi feita pela Arquiteta Pintora Dançarina (entre outras coisas) que tive a Honra de ter como Companheira do primeiro ao último ano da Década de 90:

- “Seu nome tem o Mar, e tem o Cio.”


(Ipanema, 20190801)

quinta-feira, 1 de agosto de 2019

Bodas de Ketel One


Meus Avós Paternos completaram 50 anos de Casados.

Meus Avós Maternos completaram 50 anos de Casados.

Há pouco mais de 1 semana meus P&M completaram 64 anos de Casados, and counting.

Tenho 63 anos de idade, e sou Solteiro.

Finalmente alguém aprendeu!


(Ipanema, 20190731)