terça-feira, 5 de outubro de 2010

Em Outras Condições

Um dos mais tocantes elogios que recebi na vida veio de uma mendiga imunda, desgrenhada, mulambenta e cujo cheiro era condizente com esta descrição.

Tarde de domingo, eu estava na Rodoviaria Novo Rio aguardando o ônibus que me levaria para São Paulo. Bebia uma água mineral com gás no boteco ao lado do embarque. Observei a Mendiga rondando pelos 3 botecos que ficam ali. Devia ter cerca de 30 anos, e poderia até ser bonita, mas para tanto precisaria passar primeiro por meia hora de banho em desinfetante, pois seu estado era realmente lastimável. Conseqüentemente, todos a tratavam muito mal.

Ela se aproximou de mim. Falava com bastante calma, não era agressiva nem insistente, abordou-me educadamente. Pediu-me que lhe pagasse um refrigerante. Normalmente não dou nada, mais para evitar alimentar este tipo de comportamento pedinte de que por ser mão-de-vaca. Mas a quase-fineza de sua abordagem contrastava muito com modo que vinha sendo tratada pelos demais transeuntes, e me sensibilizei. Dei-lhe 5 reais (posteriormente me arrependi, pois ela realmente parecia estar precisando de mais), porém acho que o que a tocou não foi o dinheiro mas sim o fato de ser tratada de forma igualmente educada.

Ela agradeceu e se afastou rumo a outro Bar. No meio do caminho parou, deu meia volta e veio falar novamente comigo:
-"Sabe, eu gostaria de ter te conhecido em outras condições."

Fiquei sem palavras enquanto ela se afastava. A resposta só me ocorreu quando já dentro do ônibus: eu também gostaria de tê-la conhecido em outras condições.

(set/2010)

Um comentário:

  1. achei que ia ler algo sobre uma certa pedra... adorei o post!

    ResponderExcluir