sexta-feira, 13 de abril de 2012

Welcome Kit

Impressões no 1º dia de trabalho.

1. 
Ele furou a orelha em Berlin em janeiro de 1986. Um mês depois estava morando em London, e conseguiu um bico como garçom no Pizza Hut em Oxford Street (exatamente em frente à Virgin Megastore; ele sabia de antemão onde iriam parar todas as suas “tips”...).

No discurso introdutório o manager do restaurante explicou as regras de comportamento e conduta, horários, os atendimentos no salão principal, a administração da fila de espera, como lidar com o “salad bar”, cuidados com o uniforme, o que podiam e não podiam fazer, o que podiam e não podiam comer, o que podiam e não podiam beber, etc.

Ao final do speech o manager olhou para ele, e disse:
- “No earrings allowed for male personnel.”

Ele nunca se esqueceu daquilo. Concordava que não tinha nada a ver, e jamais usou brinco em ambiente de trabalho.


2. 
Ele respondeu a um anúncio de jornal, e enviou um currículo para a grande e famosa  Administradora. Neste CV fazia questão de manter registradas peculiaridades como “garçom no Pizza Hut em Londres” e “tradutor de histórias em quadrinhos” na rúbrica “Outras Atividades” (*). Acabou sendo contratado (**) em um processo seletivo onde fez uma enorme bateria de testes, incluindo uma análise grafológica.

O primeiro dia consistia em um treinamento do modus operandi da Administradora, suas diversas Áreas e a integração entre elas, o funcionamento de RH, o detalhamento dos benefícios, e muitos et coeteras. Eram mais de 40 pessoas sendo admitidas naquele dia, e a maior parte das palestas era no Auditório da Empresa, na esquina da Avenida São João com a Avenida Ipiranga em São Paulo.

O que mais o marcou naquele evento foi a observação de uma Gerente do RH:
- “Muitas Empresas têm reservas quanto a funcionários terem relacionamentos com colegas de trabalho. Este não é o nosso caso: não temos nada contra envolvimento entre nossos funcionários. Somos uma Empresa enorme, de pessoas jovens e bonitas, que passam a maior parte dos dias juntos e saem após o expediente; é natural que surjam envolvimentos e relacionamentos. Só não queremos que isto influa no trabalho; não queremos brigas nem favorecimentos. Preferencialmente nada entre Chefes e Subordinados. Fora isto, vocês são totalmente livres.”

Ele também nunca se esqueceu daquilo. E adotou a mesma postura pessoal em todos os lugares onde trabalhou. Nunca criticou nada.

E nem se furtou...
  

(*) O objetivo original de manter estas duas atividades no CV eram:
- garçom: demonstrar versatilidade, falta de frescura e “morei em Londres” (para ser garçom lá tinha que falar inglês muitíssimo bem)
- histórias em quadrinhos: para ser tradutor de histórias em quadrinhos você tem que entender MUITO inglês! É tudo gíria, duplo sentido, frases incompletas, significados bifurcados, etc. “Demolidor” e “Monstro do Pântano” foram até razoavelmente fáceis; já “Sobrinhos do Capitão” era gíria interiorana pura e ininterrupta, e portanto impossível.


(**) Posteriormente o Chefe que o contratou comentou tê-lo chamado para a entrevista (entre centenas de outros currículos) exatamente por causa daquelas duas peculiaridades:
- “Eu vi aquilo e pensei: no mínimo vou me divertir com este cara!”


3. 
O primeiro dia de trabalho dela na grande e famosa Administradora. Área de Finanças, segunda-feira pela manhã. A nova Analista chega nervosa e ansiosa. Atravessa o enorme andar e passa na mesa de seu novo Chefe, a única pessoa que conhece naquele ambiente desconhecido.
- “Bom dia, Chefe!”

O Chefe não levanta a cabeça dos papéis que estuda, e responde com a cara fechada e sem olhar para ela:
- “Só se for para você...”

Meses depois, ambos contavam esta história: ela atônita; o Chefe às gargalhadas!


(abr/2012)

Um comentário:

  1. Ana G., "a nova Analista"17 de abril de 2012 09:25

    Well, well, well - e não é que me lembro??...

    ResponderExcluir