terça-feira, 23 de março de 2010

Hipótese sobre o caso Isabella

Existe uma possibilidade no caso Isabella Nardoni que encaixa com todos os detalhes, e que nunca foi aventada talvez por ser ainda mais horripilante do que tudo o que temos lido e visto a respeito.

A hipótese é que o casal acusado esteja falando a verdade. Que eles não tenham atirado a Menina pela janela. Que tudo tenha passado como eles relataram e também como as provas demonstram. Porém...

O Pai realmente subiu levando a menina que pingava sangue, resultado da porradaria que levou dentro do carro. Isto explica os respingos de sangue com gotas que caíram de 1,25m de altura.

Isabella poderia ter sido deixada em um quarto em estado de total desespero. E para fugir à tortura buscou a janela do outro quarto, onde sabia já existir um rasgo na tela de proteção. Ela no entanto descobriu que tal rasgo não era suficiente para sua passagem, e usou então a tesoura ou faca para aumentá-lo. Isto explica por quê o rasgo foi feito em dois momentos diferentes, e com dois instrumentos diferentes.

Ela se colocou na janela. Pés primeiro, cintura depois, ficando então debruçada pelos cotovelos. Isto explica o modo da queda. É muito difícil imaginar que alguém que quisesse jogar outra pessoa por uma janela com tela passasse primeiro seus pés, e a ficasse segurando pelos pulsos como os rostos de frente, cara a cara. Além de excessivamente desumano (até para eles!), não seria prático. Não foi isto que aconteceu; Isabella caiu de pé porque ela mesmo, em desespero, se pendurou na janela. Se com intenção ou não de se atirar para fugir, não há como especular.

O que precisaria ser determinado é se os demais membros da Família estavam em casa neste momento, ou se o Pai realmente tinha descido para ajudar a Madrasta com as demais crianças. Mas isto não muda grande coisa.

Assim, ao não encontrar a Filha no quarto onde a deixara, o Pai efetivamente teria subido na cama do outro quarto para olhar pela janela. Deixou então a pegada no colchão, e também pegou os resíduos de tela na camisa.

Isto explica também por que a madrasta gritava -"Ela foi atirada". Se a menina realmente tivesse sido atirada, a madrasta cheia de culpa não gritaria a verdade. Seus gritos tentavam OCULTAR a verdade: que ela não foi atirada, mas sim que para fugir deles a menina desesperada buscou a janela.

Isto explica ainda por que na mesma noite a Madrasta dizia para a Mãe de Isabella: -"A culpa foi dela".

O casal acusado não seria, portanto, responsável por arremessar a menina pela janela. Muito pior: seriam responsáveis por ela ter buscado em uma janela a única saída para o tratamento desumano que vinha recebendo da Madrasta, sem que o Pai a defendesse - pelo contrário.

O casal réu não atirou a Menina pela janela. Mas a deixou em tal estado de solidão, desespero e agonia que a levaram a buscar na janela a única saída para a situação que vivia.

E isto é muito pior.

(mar/2010)

2 comentários:

  1. Wellington e Fernanda23 de março de 2010 21:46

    De qualquer forma o fim será "saramaligno" para os dois, pois foram insanos do mesmo jeito nas duas hipóteses. Que Deus ilumine a todos.

    ResponderExcluir
  2. Caraca, faz todo sentido... Mas não queria estar na pele desses dois... Mais um capítulo de CSI São Paulo hoje.

    ResponderExcluir