segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Menino Veneno


Aconteceu no início do Século XXI.

Show de Marcelo Nova na Vila Madalena. Antológico!, como todos os shows dele. A alturas tantas, Nasi subiu ao palco e iniciou um dueto com Marcelo. Passaram então a um desafio como os dos repentistas sertanejos, porém com levada rock’n’roll: cada um improvisava uma quadrinha com rima e sacaneando o outro, e instantes depois vinha a resposta no mesmo tom. Longo, brilhante, criativo, divertido, inesquecível!

A galera na pista estava estranhamente distante do palco. Com traje “au grand complete” - all blacks, inclusive o blazer - me aproximei e fiquei lá na frente, bem perto do palco.

Lá pelas tantas, no meio do show, dois caras se aproximam e um deles me pergunta:
- “Você é o Ritchie?”

Demorei um pouco para entender a pergunta. Quando me refiz, respondi:
- “Não, eu não sou o Ritchie.”
Os  caras se afastaram.

Mas em pouco retornaram:
- “Você É o Ritchie!”
De cima de minhas botas, respondi:
- “Não, eu não sou o Ritchie!”
Os caras se afastaram.

Daí a pouco voltaram uma vez mais:
- “Mas se fosse o Ritchie, você não diria...”
Respondi com toda a sinceridade do Mundo:
- “Se eu fosse o Ritchie eu diria sim que sou o Ritchie. Mas eu NÃO SOU o Ritchie!”

Os caras ficaram por perto.
- “É, não tem sotaque, mesmo...”

Ao final do show, Marcelo Nova foi ao baterista, pegou uma baqueta, veio para a boca do palco e a entregou a mim.

(jan/2014)

2 comentários:

  1. PQP! Os caras tem razão. Eu nunca percebi que v. é o Richtie!

    ResponderExcluir