sexta-feira, 11 de setembro de 2009

(Obs)Cenas de um Casamento

A condição de fotógrafo oficioso de casamentos me traz uma intimidade com a cerimônia que não é habitual.

Recentemente fui mais uma vez a testemunha privilegiada de um destes eventos. Casavam-se AP & D, duas das mais belas criaturas que este planeta já produziu.

Local: Casa do Alto, no Alto da Boa Vista, no Rio. A chegada era por uma estrada cercada por tochas, desembocando em cinematográfica mansão cercada de piscinão e floresta. Fui recebido pela mestre de cerimônias, que logo me identificou graças aos equipamentos pendurados no lombo (eu parecia um camelo de terno).

Fui afastado dos chiquérrimos salões da cerimônia e jantar, e conduzido à irradiante presença da noiva em uma suíte cor de rosa com ar condicionado, espelho gigante, sofazão e mesa. A Noiva estava nervosa porque a juíza iria atrasar.
- "Melhor ainda!", considerou o Fotógrafo. "Vamos mandar vir a champanhe!"

Ela se entusiasmou, e em resumo passei 1½ hora alternando champanhe e água de côco no maior conforto. Vi a Noiva de braços abertos secando como um varal para evitar o suor; a Noiva depois de algumas taças girando suas luvas como se fossem uma bolsinha, no melhor estilo Avenida Atlântica na madrugada; suas melhores amigas, hiper arrumadas (acredito ser nos casamentos que as Mulheres mais se arrumam, estavam todas literalmente "dressed to die" - mas nenhuma mais bonita do que a Noiva), tomando champa e falando de tudo; escrevendo nomes em papeizinhos e prendendo na borda do vestido branco (mandinga forte). Ouvi histórias do namoro que mostram como funcionam as mulheres ("nos encaramos no ônibus, e pensei: se ele me pedir o telefone eu não dou! Mas ele perguntou: você tem e-mail? E eu disse: Tenho!". Com o maior sorriso de felicidade no rosto).

De vez em quando eu saía para falar com o Noivo, que bufava de calor e nervosismo. Nunca me foi tão claro o quanto o casamento é uma festa absolutamente feminina, e o quanto os Homens são meros coadjuvantes empolados.
- "Relaxe; aqui você é apenas um mal necessário" tentei consolar o Noivo; mas ele não tinha ouvidos para nada.

Uma enorme barata gorda causou pânico nas dependências femininas, e lá foi nosso Fotógrafo cumprir sua missão, representando os Homens e o Noivo (para isto somos indispensáveis).

Com 90 minutos de atraso chega a Juíza Luíza, que uma afiadíssima língua descreveu com precisão como "a irmã gêmea de Walter Mercado". Burburinho na ante-sala onde as mestres de cerimônia preparam o grid de largada de Padrinhos, seguidos por Noivo & Mãe e no final a Dama de Honra. Abre-se a porta dupla e seguem todos rumo ao palco; novamente se fecha a porta para que a Noiva e seu Pai assumam posições. Tiro suas últimas fotos de solteira, dou a última ajeitada no vestido (já sou craque nisto) e está tudo pronto. Música rolando. Do lado de fora todos os olhares convergem para a porta dupla, que se abre para que surja... EU! Deixei a ante-sala e saí sob os olhares de TODO MUNDO, uma cena patética que não tive como prever ou evitar. Fechei novamente a porta e tomei posição no meio do corredor, e daí por diante foi só tirar da frente quem me atrapalhava para conseguir os melhores ângulos, inclusive no palco. E as pessoas ainda sorriam para mim...

Além das fotos de Walter Mercado oficiando um casamento, consegui ainda (obs)cenas inéditas: após a cerimônia voltei ao quarto rosa e os noivos estavam lá sozinhos! Ilhados até que o cerimonial permitisse / exigisse sua presença de volta. Pedi que me ignorassem e desculpassem, mas eu não poderia perder a ocasião de documentar um "enfim sós" (neste caso bastante precoce, mas com gosto de "enfim juntos"). Eles não se fizeram de rogados, e creio que não chegarei a ter autorização para divulgar as fotos que fiz antes que o rubor me expulsasse do quarto rosa com ar condicionado, espelho gigante, sofazão e champanhe.

(nov/1999)

2 comentários:

  1. Festas de casamento são mesmo experiências antropológicas... vc sem dúvida encontrou a melhor forma de participar delas!

    ResponderExcluir
  2. Mauricio MPR Corporation27 de setembro de 2010 14:52

    No meu próximo casamento, vou te enviar dois convites, ou melhor e mais elegante, irei convidá-lo duas vezes. Sensacional...

    ResponderExcluir